Como ajudar um jogador problemático: Um guia para a família e amigos

Se está preocupado(a) com os problemas de jogo de alguém que lhe é próximo, esperamos sinceramente que encontre o que procura neste artigo. Abordaremos diferentes formas de identificar os sinais de dependência do jogo, como falar e ajudar um jogador com problemas e o que pode fazer para proteger-se e proteger sua família.

Conteúdos deste artigo:

  1. Sinais que o seu familiar ou amigo tem problemas com o jogo
  2. Porquê e como as pessoas desenvolvem problemas com o jogo
  3. Como confrontar os jogadores problemáticos com o seu comportamento
  4. Como ajudar um jogador problemático
  5. Como proteger-se a si próprio e à sua família

Sinais que o seu familiar ou amigo tem problemas com o jogo

O seu parceiro, familiar ou amigo tem agido de forma suspeita ultimamente e está preocupado que possa estar viciado em jogos de azar? Esperemos que seja apenas a sua imaginação, mas poderá não ser apenas isso. Mas, antes de acusar alguém de algo, deve em primeiro lugar avaliar as suas preocupações e as respetivas causas.

Nesta secção do artigo, preparamos três listas de sinais de que o seu familiar ou amigo pode ser um jogador problemático. Confirme ou elimine as suas suspeitas examinando-as e verificando todos os sinais aplicáveis.

Sintomas relacionados com dinheiro

  • Dívidas inexplicáveis ou dinheiro emprestado
  • desaparecimento de dinheiro e bens
  • empréstimos numerosos, empréstimos não pagos ou avisos de desconexão
  • pouca ou nenhuma comida em casa
  • "perda" frequente de dinheiro ou da carteira
  • extratos bancários desaparecidos
  • contas bancárias secretas, empréstimos ou cartões de crédito
  • mudanças significativas nos hábitos de gastos

Sinais sociais

  • mau humor e/ou explosões de raiva inexplicáveis
  • depressão
  • evitar o contato com família e amigos
  • reduzir ou abandonar os passatempos habituais
  • a família e os amigos reclamam sobre o distanciamento emocional da pessoa em causa
  • evitar eventos sociais e convívios
  • tentar controlar e manipular as pessoas através de ameaças, mentiras ou chantagem
  • guardar segredo sobre as suas atividades

Sintomas relacionados com tempo

  • desaparecimento por períodos que a pessoa não consegue explicar de forma razoável
  • ausência de tempo para as atividades do dia a dia
  • utilização excessiva de dias de licença médica e dias de férias no trabalho
  • consumo de imenso tempo a ler ou assistir a conteúdos sobre jogos de azar
  • demorar imenso tempo para fazer tarefas básicas (por exemplo, sair para comprar comida na loja do outro lado da rua e ficar fora por duas horas)

Nota: Para saber mais sobre os sintomas dos problemas com o jogo em geral, leia o nosso artigo sobre os sintomas e diagnóstico de problemas relacionados com o jogo.

Porquê e como as pessoas desenvolvem problemas com o jogo

Nas listas de sinais de alerta relacionados com problemas com o jogo apresentadas, pode ter encontrado várias semelhanças preocupantes com alguém próximo. Nestes casos, é comum sentir alguma confusão e descrença. "Como alguém muito próximo adquirir um vício em jogos de azar? Porque terão se envolvido no jogo?" Estes são apenas alguns dos pensamentos que podem estar passando pela sua cabeça neste momento.

A verdade é que ninguém planeia ter problemas com o jogo. O vício é quase impossível de detectar nas fases iniciais e, quando este torna-se evidente, a pessoa em questão já está viciada. Temos um artigo muito mais aprofundado e dedicado às causas dos problemas com o jogo, que pode ler aqui. Mas para que tenha pelo menos uma compreensão básica de alguns motivos que levam a que as pessoas sejam consumidas por seus hábitos de jogo, apresentamos aqui quatro fontes subjacentes do vício do jogo.

  1. Sorte de principiante – O jogador têm a sorte de ganhar muito ao começar a jogar. Uma pessoa como uma experiência deste tipo voltará a jogar novamente, na esperança de desfrutar a emoção de ganhar novamente. No entanto, se a pessoa sofrer grandes perdas, é provável que isso perturbe os seus hábitos saudáveis de jogo e venha desenvolver uma dependência.
  2. Escape – Para as pessoas que lutam com situações de vida difíceis ou emoções negativas, o jogo pode parecer uma formas de deixar esses problemas para trás. O problema é que entregar-se ao jogo é muito fácil. Estas pessoas podem começar a ver a resposta para todos os seus problemas nos jogos de azar, o que nunca funciona a seu favor.
  3. Isolamento social – uma pessoa que se sinta sozinha ou isolada de outras pessoas pode começar a jogar, com o objetivo de sentir-se parte de uma comunidade. Os desejos de jogar que surgem a partir de sentimentos negativos são, na maior parte dos casos, os que têm maior probabilidade de resultar em hábitos de jogo prejudiciais à saúde.
  4. Influência dos pais – Já viu alguma carteira de cigarros onde estava escrita a seguinte frase: 'Os filhos dos fumadores têm tendência a ser fumadores'? O mesmo aplica-se ao jogo. Se os filhos têm antecedentes familiares negativos, nos quais um ou ambos os pais costumam jogar, correm o risco de seguir os passos dos pais.

Antes de confrontar alguém sobre um comportamento de jogo problemático, existem algumas coisas que deve considerar. Uma dessas coisas é procurar saber quais os problemas ou situações podem estar motivar esta atitude. Tente demonstrar alguma empatia e perceber pelo que estão passando emocionalmente antes de fazer qualquer juízo de valor.

Como confrontar os jogadores problemáticos com o seu comportamento

Vejamos, tem sérias razões para acreditar que alguém próximo a si tem problemas com o jogo. Acha que compreende a origem do problema da pessoa em questão e está pronto para confrontá-la sobre seu comportamento. Mas há mais uma coisa a fazer antes da "conversa".

Prepare-se para a conversa

Assegure-se que está em boas condições emocionais e mentais. Descobrir que alguém próximo de si tem problemas com o jogo pode desencadear uma série de emoções em si - perda de confiança, medo, raiva, frustração, confusão, desamparo, etc.

Mas para ser capaz de ajudar alguém, você deve estar mentalmente forte. Demorará muito tempo até que os seus amigos ou familiares mudem de atitude. Por isso, tome medidas para se proteger e proteger o bem-estar da sua família e amigos. Mantenha uma rotina saudável - faça exercícios, reúna-se com amigos, socialize e dedique algum tempo aos seus passatempos.

Lembre-se que um jogador com problemas não o é simplesmente para irritá-lo ou magoá-lo. Ninguém escolhe tornar-se num jogador problemático, são apenas vítimas das circunstâncias. Geralmente, os problemas começam como uma tentativa falhada para sair de uma situação financeira difícil.

Sentem-se e tenham a "conversa"

Assim que estiver preparado, é tempo de pensar sobe quando e onde fará a sua intervenção. Escolha um momento em que o seu ente querido possa ter uma conversa séria e esteja de bom humor. Quanto ao local, escolha um lugar privado, onde os dois possam sentir-se calmos e seguros.

Não se esqueça que, apesar das precauções, os jogadores problemáticos podem reagir de várias formas. Podem ficar com raiva, sentirem-se aliviados por ter alguém com quem conversar, ter vergonha do seu comportamento ou mentir para tentar escapar da situação. Tenha em mente estas possíveis reações e tenha um plano para lidar com elas.

No que diz respeito à conversa, existem algumas coisas que recomendamos e outras que não recomendamos a fazer.

  • Deve explicar o impacto que o jogo está a ter nas pessoas ao seu redor
  • Deve focar nos aspectos positivos e no que pode ser feito para melhorar a situação
  • Deve conversar com ele(a) sobre os benefícios de reduzir ou até mesmo parar completamente de jogar
  • Deve dizer-lhe que está fazendo isso porque se preocupa
  • Deve utilizar as palavras que os jogadores usam para falar sobre jogos de azar para que possam entender melhor os seus pontos
  • Deve abrir-se para o que ele(a) tem a dizer.
  • Deve perguntar: "Até que ponto as coisas têm de piorar para ver isto como um problema?"
  • Deve ser paciente.
  • Não deve culpar ou rotular a vítima como um problema
  • Não deve dar um sermão - as suas palavras não serão escutadas até ao fim
  • Não deve dizer o que faria no lugar deles, a menos que já tenha superado um vício
  • Não deve dizer o que fazer, procure uma conclusão por mútuo acordo

É provável o rumo da conversa seja desviado durante a intervenção, mas existem quatro pontos distintos que sua conversa deve abranger.

1. Explique como se sente

Diga ao seu amigo ou familiar quais as mudanças que notou no comportamento dele, porque o preocupa, e como isso lhe faz sentir.

2. Oiça o que eles têm a dizer

Dê-lhes bastante tempo para partilhar o seu lado da história. Não interrompa enquanto falam sobre a sua situação. Então, poderá perguntar-lhes o que pensam sobre os respetivos hábitos de jogo, independentemente de o considerarem um problema ou não.

Se eles não encararem isso como uma dificuldade, pode sugerir-lhes que façam um teste que possa alertá-los para o seu problema de jogo. Temos uma artigo completo sobre o diagnóstico de problemas com o jogo. O artigo contém muitas informações úteis, o questionário de Jogadores Anónimos, bem como muitas outras formas de diagnóstico de problemas com o jogo.

3. Pergunte-lhes a opinião deles

Pergunte-lhes o que fariam na sua situação e quais os próximos passos a ser dados, na opinão deles. Se a discussão ficar muito acalorada e começar a transformar-se numa discussão, termine a conversa. Concordem em voltar ao assunto mais tarde, para dar aos dois tempo suficiente para acalmar as ideias.

4. Incentive-os a considerar várias formas de lidar com o problema

Discuta as possíveis abordagens que eles podem tomar. Pode ainda recomendar alguns recursos úteis para que eles possam fazer as suas próprias pesquisas antes de tomar uma decisão. Nesta fase, o nosso artigo sobre Como Ultrapassar os Problemas com o Jogo pode revelar-se útil.

Como ajudar um jogador problemático

Não existe um único caminho correto a seguir no processo de reabilitação de jogadores com problemas. Existem sempre vários caminhos possíveis, algo que vamos discutir nesta seção do artigo. Abordagens diferentes podem funcionar melhor ou pior para diferentes pessoas e não há uma forma garantida de determinar à partida qual a abordagem certa para o seu amigo ou familiar.

Para começar, deixe o jogador com problemas escolher o método preferencial. Monitorize o seu progresso e, se a situação não melhorar, tente uma abordagem diferente. Leva algum tempo para recuperar de um vício, por isso seja paciente e apoie.

1. Deixe o jogador com problemas lidar com o problema por si próprio

É sempre possível que o seu amigo ou familiar não queira a sua ajuda. Embora seja verdade que muito poucas pessoas conseguiram recuperar sozinhas, deve respeitar a decisão. No fundo, a experiência pessoal fala mais alto do que palavras.

Caso optem por esta solução, recomendamos que verifique regularmente o seu progresso e tenha conversas regulares sobre o processo de recuperação. Defina uma data ou período (por exemplo, uma vez por mês) para conversar e reavaliar a situação. Se não notar melhorias no comportamento, considere uma abordagem diferente.

Nota: Assegure-se que o jogador com problemas tem todos os recursos úteis à sua disposição ao longo da jornada de recuperação. Para os principiantes, a secçãoJogo responsável e Ajuda para Jogadores Problemáticos no nosso website tem muitos artigos e links úteis.

2. Trabalhem em conjunto

Trabalhar em conjunto com jogadores com problemas é uma excelente forma de progredir rumo à eventual reabilitação. No entanto, não confunda 'trabalhar em conjunto' com 'trabalhar por ele'. Deve definir limites claros de quanto e como está disposto a ajudar. Não sacrifique sua saúde, bem-estar mental e estabilidade financeira em prol de um jogador com problemas.

Preparamos várias sugestões que podem ajudar. Escolha as que considera adequadas e aplique-as.

Faça a gestão das finanças

  • defina um gasto máximo diário, semanal ou mensal nos jogos de azar - idealmente zero
  • ajude a definir um orçamento geral e débitos diretos para contas
  • considere formas de limitar o acesso a dinheiro para despesas não essenciais
  • tome conta dos cartões de crédito e débito por um determinado período de tempo
  • caso peçam um empréstimo, considere pagar as contas e dívidas você mesmo e certifique-se de que eles paguem de volta, na íntegra e dentro do prazo

Atividades sociais e atividades nos tempos livres

Cortar nos jogos de azar pode libertar muito tempo para o jogador, mas o tédio é perigoso nessas circunstâncias, uma vez que a falta de entretenimento pode levar ao impulso de jogar.

  • passe um tempo com o jogador e preencha o tempo com atividades divertidas
  • conecte o jogador com a família e amigos para construir uma estrutura de apoio saudável

Defina novas regras em casa

As regras são mais facilmente aplicadas caso habite com o jogador problemático em questão. Certifique-se que não define apenas as regras, mas também concorda com as consequências caso estas sejam violadas.

  • faça o jogador divulgar todas as dívidas atuais e verifique regularmente os extratos financeiros relevantes, para ver confirmar que não existem novas dívidas
  • pare de cobrir as dívidas resultantes do jogo
  • separe o acesso às suas finanças do seu, limite o acesso deles a dinheiro ou crédito
  • faça a gestão de todas as finanças por um determinado período de tempo
  • caso sinta que é certo e necessário, considere condicionar a vossa relação em função do abandono dos maus hábitos de jogo

3. Obtenha ajuda profissional

Às vezes, o jogo pode ter um controlo tão poderoso sobre a vida de alguém que nem eles, você, nem o restante círculo social pode ajudar. É nesse momento que tem derecorrer à ajuda de profissionais. No nosso site, compilámos uma Lista de Centros de Ajuda Para Jogadores Com Problemas, apresentando opções internacionais e específicas do país.

Se sentir que esgotou todas as formas de ajudar o seu familiar ou amigo, recomendamos vivamente que procure grupos de apoio aos problemas com o jogo ou a ajuda profissional disponível. Muitos grupos de apoio e soluções de ajuda de pares são totalmente gratuitos. E, embora psicólogos e centros de ajuda possam às vezes ser caros, não há preço que pague a saúde e a segurança dos seus familiares e amigos.

Como proteger-se a si próprio e à sua família

Ajudar um familiar ou amigo com problemas com o jogo não deve ser feito às custas da sua saúde física, mental ou financeira ou da sua família.

Proteja a sua saúde física e mental

Lidar com os problemas do jogo é uma experiência muito desgastante, tanto mental como fisicamente, mesmo não sendo a vítima principal. Para proteger o seu bem-estar e o da sua família, existem alguns passos que pode dar.

Para ajudar a mitigar os efeitos stressantes dos problemas com o jogo, mantenha uma rotina. Uma dieta saudável, um horário de sono e exercícios regulares não apenas lhe ajudará a esquecer as coisas, como também libertará dopamina, que ajudará a atingir um estado mental e corporal equilibrado.

Entretenha-se com passatempos e atividades que gosta. Não permita que os seus problemas dominem cada hora e minuto do seu dia-a-dia, uma vez que isso não ajudará ninguém.

Socialize e confie na sua família e nos seus amigos. Por vezes é necessário tirar algum peso dos seus ombros. Fale com as pessoas em que confia e expresse as suas emoções e preocupações. Fale francamente e não esconda nada, caso contrário os problemas continuarão nas suas preocupações.

Como decidir a quem contar

Pode estar preocupado em falar sobre os problemas do seu amigo ou familiar. Pode aparentar como 'agir pelas costas'. Evidentemente que o jogador com problemas deve ter a liberdade de escolher quem sabe sobre a sua situação e você deve discutir este assunto com o próprio antes de falar com qualquer outra pessoa.

No entanto, se o seu familiar ou amigo nega o problema, pode não ter outra opção a não ser discutir a situação sem o seu consentimento. Antes de fazer isso, considere cuidadosamente os benefícios e potenciais riscos. Tome a decisão com base nisso.

Caso se sinta fisicamente ameaçado(a)

Às vezes, um jogador com problemas pode estar sujeito a explosões violentas, sejam elas verbais ou físicas. Mesmo que seja difícil e pareça uma forma de traição, deve distanciar-se dessa pessoa o mais rápido possível.

Prepare um plano de fuga para o pior cenário. Procure linhas de ajuda e abrigos ao seu redor, aos quais possa recorrer, se precisar. Pode considerar ainda a opção de encontrar um advogado, pois nunca sabe como a situação pode piorar.

Proteja as suas finanças

O vício do jogo é como um buraco negro: suga todo o dinheiro disponível e deixa um vazio nas carteiras, contas bancárias e economias das pessoas. Este efeito não se limita aos jogadores com problemas, como pode estender-se à sua família, amigos e associados. Então, se não quer colocar o seu sustento em risco, deve tomar algumas medidas preventivas.

Se for um principiante, deve evitar emprestar dinheiro ao jogador com problemas ou cobrir as suas dívidas. Se já cometeu este erro no passado, bater em si mesmo não ajudará ninguém, por isso não repita o erro. Também é uma boa ideia não emprestar os seus cartões de crédito aos jogadores, dizer os seus PINs ou deixar qualquer uma dessas coisas espalhadas pela sua casa.

Reconsidere seus acordos financeiros com o jogador problemático. Se este for seu cônjuge ou membro da família, pode estar a partilhar os cartões de crédito ou ter uma conta bancária conjunta. É melhor pensar cuidadosamente sobre essa situação e pondere alterá-la, pelo menos temporariamente. Se quiser, pode tentar administrar todas as finanças sozinho. Mas caso isso não seja algo que pode ou deseja fazer, pense em remover o seu nome de quaisquer contas conjuntas que possa ter e obter cartões de crédito separados.

Evite dívidas e uma reputação de crédito má. Fazer orçamentos nunca é uma experiência agradável, mas às vezes é algo necessário. Explique à sua família que talvez precise apertar o cinto por uns tempos. Verifique seu histórico de gastos e corte nos gastos desnecessários. Elabore um orçamento semanal ou mensal e atribua semanadas ou mesadas aos membros da sua família durante esse período. Não se esqueça de priorizar as necessidades e pagar as suas dívidas nos prazos estabelecidos. Pode configurar débitos diretos nas suas contas, hipotecas e outras despesas regulares.

Não arranje problemas legais. Não importa o quão improvável isto possa parecer, nunca estará suficientemente preparado. Existem situações em que o vício desempenha um papel importante e,muitas vezes, pode sair do controlo, rápida e inesperadamente.

Por isso mantenha um registo das suas finança, incluindo ativos, despesas, receitas, contribuições, presentes, etc. É igualmente uma boa ideia fotocopiar e armazenar cópias de segurança de todos os documentos importantes, como escrituras ou certidões de casamento e nascimento. Evite assinar quaisquer documentos que não entenda ou contratos que saiba de antemão não poder pagar.

Se acha que tudo isto é demasiado para lidar, pode entrar em contato com um conselheiro financeiro, que pode ajudá-lo a definir tudo e a proteger as finanças de sua família.

Estes conselheiros podem ajudá-lo a conversar com o seu banco e evitar que a sua casa seja novamente hipotecada. Se tem muitas dívidas, eles são capazes de demonstrar as dívidas que devem ser encaradas como uma prioridade e ajudá-lo a negociar o reembolso das mesmas com agências de crédito. Caso necessite, pode solicitar-lhes orientação e informação sobre os prós e contras da falência, bem como nos procedimentos envolvidos.

Consequências negativas dos problema com o jogo nas crianças

Os problemas de jogo dos pais podem ter um impacto enorme sobre os filhos. Filhos de jogadores problemáticos têm maior probabilidade de seguir os passos dos seus pais e tornarem-se eles próprios jogadores problemáticos. São ainda muito suscetíveis a sofrer de sentimentos de isolamento, raiva e depressão.

Em casos extremos, as crianças podem tornar-se vítimas de problemas existenciais profundos. Numa família financeiramente instável, as crianças podem não ter comida suficiente para comer e podem sofrer de desnutrição ou os pais podem não ter dinheiro para comprar roupa e calçado para eles. Os seus estudos e atividades de tempo livre são igualmente susceptíveis de sofrer devido à situação que vivem em casa.

Os filhos dos jogadores problemáticos são muitas vezes forçados a "crescer mais rápido" do que a maioria das crianças. Eles assumem as responsabilidades dos pais, como por exemplo, cuidar dos irmãos mais novos. Elas podem ser forçadas a testemunhar rixas familiares, violência e eventual separação da família, com a possibilidade de acabar como sem-abrigo.

Como ajudar as crianças provenientes de famílias com problemas de jogo

As crianças que se encontram nestas situações, assim como os adultos, precisam expressar as suas emoções e falar sobre sua situação. Sente-se com elas e permita que falem livremente sobre os seus sentimentos.

Elas podem sentir que são de alguma forma responsáveis pelo que está a acontecer com as respetivas famílias. Corte este tipo de pensamentos pela raiz e assegure-lhes que elas não têm qualquer culpa. Ao falar com eles, não condene o seu familiar por ser um jogador com problemas. Tudo isto pode ser muito confuso para uma criança, por isso separe a pessoa do comportamento e critique apenas o comportamento.

Mantenha as crianças ocupadas para ajudá-las a esquecer os seus problemas. É muito importante envolver as crianças nas atividades familiares para evitar a quebra dos laços familiares. Se possível, é melhor não envolvê-los demasiado na solução dos problemas que a sua família enfrenta. No final de contas, as crianças têm o direito a ser crianças.

Para terminar, ajudar um familiar ou amigo que se tornou num jogador problemático é uma tarefa difícil, mas é uma tarefa que vale a pena. Esperamos sinceramente que tenha encontrado algo útil neste artigo e que a sua família e os seus amigos possam voltar a ter um estilo de vida saudável.

Alguns dos teus amigos considerariam este artigo útil?

Partilha este artigos e deixe eles saberem